Como controlar a reposição de estoque do seu petshop?

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como controlar a reposição de estoque do seu petshop?

Controlar a reposição do estoque e organizá-lo adequadamente são dois processos fundamentais para evitar o desabastecimento dos produtos de seu petshop e manter uma boa variedade de mercadorias. Afinal, receber clientes e vê-los irem embora pela falta de determinados itens faz com que o seu negócio perca oportunidades e receitas. Você não quer que isso aconteça, não é mesmo?

Por isso, é fundamental implementar processos e ferramentas tecnológicas que ajudam na gestão de estoque. Para ajudar você nisso, selecionamos algumas dicas sobre como otimizar a reposição de materiais em seu armazém. Não deixe de conferi-las!

Adotar um sistema de gerenciamento de estoque

Para começar, é importante adotar um programa de gerenciamento de estoque. Esse tipo de solução pode ser independente ou constituir um módulo de um sistema de gestão empresarial (como um ERP).

A vantagem desse tipo de ferramenta é que ele conta com processos mapeados com base em estoques reais e, no caso de um específico para o mercado pet, conta com características voltadas para esse setor. Além de automatizar processos, ele facilita o trabalho dos colaboradores na hora de controlar as entradas e saídas de materiais do estoque.

Utilizar indicadores de performance voltados ao estoque

É importante contar com indicadores de desempenho que permitam mensurar a eficiência dos processos de armazenagem. Por exemplo, perdas no estoque, tempo de reposição de produtos nas prateleiras, giro de estoque etc.

Até mesmo o momento em que é preciso fazer pedidos aos fornecedores para impedir que a empresa fique sem produtos pode ser medido. Esse indicador é chamado de ponto de pedido.

Analisar quais produtos saem mais

Você sabe quais são os produtos que mais saem na sua empresa e quais os que mais contribuem para as suas receitas e lucros? Se você tem dificuldade em medir isso, existem métodos que podem ajudar, como a curva ABC.

Nesse modelo, os produtos que proporcionam maior valor para o negócio são classificados no grupo A. Normalmente, são encontrados em menor quantidade no estoque, embora possam representar a maioria dos custos e a demanda por eles é elevada. Já os itens do grupo B são intermediários tanto no valor gerado quanto na quantidade estocada, na demanda e nos custos gerados.

Os produtos do grupo C são a maioria em estoque, podendo representar até metade dos itens armazenados. No entanto, representam uma pequena parte dos custos e contribuem com um valor menor para as receitas. A demanda deles também é baixa quando comparado aos demais.

Ao analisar o que mais a sua distribuidora vende, quais itens geram mais receitas e quais proporcionam mais custos para ser armazenados adequadamente, você poderá aplicar a curva ABC no seu negócio. Graças a isso, saberá que elementos precisam de mais investimento e que produtos não podem faltar na empresa. Legal, não é?

Estabelecer métodos de controle e reposição de estoque

  • Há outros métodos de controle de reposição de produtos que podem ser úteis para o seu negócio, como o “Primeiro que entra, primeiro que sai” (PEPS) e “Último que entra, primeiro que sai” (UEPS).
  • Como as denominações indicam, esses sistemas servem para selecionar quais produtos ficarão em estoque e quais sairão primeiro para a reposição de prateleiras ou para entregas a clientes.
  • O PEPS, por exemplo, é útil para produtos que têm data de validade curta, como alimentos para pets perecíveis. Portanto, aqueles que estão há mais tempo armazenados são os primeiros que devem sair. Isso evita perdas.
  • Já no UEPS, a base do custo do estoque que servirá para compor o preço de venda é o do último produto adquirido. Dessa forma, o total armazenado é calculado conforme o preço de aquisição mais recente, o qual tende a ser mais elevado.
  • Isso pode gerar um lucro maior em relação aos lotes comprados anteriormente, pois foram comprados por um valor menor e serão vendidos a preços atuais. Também possibilitam a reposição do estoque quando os antigos itens forem vendidos. Se eles forem comercializados no valor de custo anterior, mais baixo, a reposição do estoque poderá ser comprometida porque os insumos encareceram.
  • Para controlar adequadamente a reposição do estoque, é importante também firmar parcerias comum uma boa distribuidora para assegurar o abastecimento de produtos e conseguir bons descontos. Quanto mais confiáveis forem os seus parceiros, menor a chance de ficar sem mercadorias importantes para o seu negócio!

Agora que você já viu como controlar a reposição de estoque do seu petshop, confira dicas para diminuir custos e tornar a sua distribuidora mais competitiva!

Confira mais