mulher analisando dados no celular

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como organizar as finanças da sua empresa em tempos de crise?

O setor pet é um dos conseguem atravessar crises econômicas com maior facilidade, visto que a forte relação entre tutores e animais de estimação mantém o mercado ativo. Porém, mesmo esses empreendedores sentiram o impacto da pandemia de coronavírus em seus negócios.

Todo momento de instabilidade requer precaução e um planejamento minucioso dos processos gerenciais da empresa. E o cerne desses processos é a gestão financeira, que possibilita ao administrador enxergar a real situação do negócio para que não adquira dívidas, honre seus compromissos e mantenha a atividade sem que as contas saiam do controle.

Afinal, como organizar as finanças em tempos de crise? Separamos algumas dicas para você. Continue conosco e faça uma boa leitura!

Planeje-se para uma queda nas vendas

O momento é de incertezas. Não se sabe por quanto tempo a crise sanitária vai se estender, mesmo que o comércio volte à normalidade aos poucos. Nesse cenário, é difícil fazer projeções de vendas, o que pode afetar o fluxo de caixa seriamente.

Assim, é importante calcular o impacto que a crise pode dar à empresa, estimando uma queda de 30% a 50% na receita dos próximos 2 ou 3 meses. Isso permite que o gestor organize os demais processos da empresa.

Reveja o controle do fluxo de caixa

Os custos fixos, como aluguel, manutenções e folha de pagamento, são os que mais pesam para os empresários em momentos de redução nas vendas. Os custos variáveis, por sua vez, que dependem e variam conforme as vendas, serão menores.

É crucial que, durante uma crise econômica, o gestor reveja e separe muito bem essas despesas. Só assim é possível saber a quantia necessária para manter o negócio diante da perda de receita.

Identifique gastos que podem ser cortados

Com os custos todos levantados, agora é a hora de rever os gastos que podem ser cortados. Avalie o seu estoque, tente reduzir a conta de energia, negocie o valor do aluguel, dê férias para funcionários, otimize os seus processos e desestimule qualquer um que leve a desperdícios.

Também pode ser uma boa rever os seus fornecedores, caso os acordos não estejam sendo vantajosos para você.

Renegocie dívidas com fornecedores e parceiros

A pandemia não deixou ninguém de fora, afetando as empresas de todos os pontos da cadeia produtiva. Por isso, essa é a hora de renegociar as dívidas e os contratos com os fornecedores e parceiros para que todos saiam menos afetados da pandemia.

Renegociar e reduzir o valor do aluguel, por exemplo, é mais vantajoso para o dono do imóvel do que ficar sem inquilino nenhum. Essa situação também pode ser oportuna para encontrar novos parceiros, que tenham condições mais atrativas para o seu negócio.

Procure por oportunidades

A crise é uma oportunidade para crescer, como todos sabem. Nesse caso de mudanças significativas no comportamento do consumidor e de restrições ao contato social, inovar é a palavra de ordem.

Entrar para o e-commerce, por exemplo, tem sido a salvação de muitas empresas, já que o setor cresceu vertiginosamente nos últimos meses. Porém, a crise sanitária apenas antecipou uma forte tendência, que é o consumo online.

Você sempre pode oferecer serviços de valor aos seus clientes, inovando no seu mix de produtos e serviços de pet shop, claro, mas organize-se para marcar presença na internet e vender em uma loja própria ou em marketplaces. Essa pode ser a salvação para manter a receita e dar continuidade ao negócio.

Como você sabe, a pandemia de Covid-19 tem afetado o comércio de forma bastante drástica. Visto que não é possível prever até quando ficaremos nessa situação, organizar as finanças da empresa é fundamental para atravessar a crise. Tenha essas dicas em mente e otimize a sua gestão.

Aliás, se você quer dicas mais aprofundadas sobre o assunto, baixe o nosso e-book gratuito e veja como driblar a crise do coronavírus!

Confira mais