pessoas no pet shop pegando recipientes de ração

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Crescimento do mercado pet no Brasil

A crise econômica está prejudicando vários setores, mas o mercado pet não está sendo afetado. Pelo contrário. Dados recentes mostram que há um crescimento do setor no Brasil.

Os motivos para esse comportamento do setor variam. Dentre eles, podemos citar o grande número de animais de estimação que habitam os lares brasileiros. Sem contar que, cada vez mais, os cães, gatos e outros pets são vistos como integrantes da família.

Tratados, muitas vezes, como bebês e até chamados de “filhos”, acabam recebendo mais mimos. Isso, além de impulsionar o setor, exige que as empresas da área ofereçam qualidade, além de diversificação de produtos e de marca. O tutor de pet é exigente!

Número de animais e crescimento do mercado pet

O Brasil tem 210,4 milhões de habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e esses habitantes gostam de animais. Pelo menos é o que indica o mesmo instituto, que estima que existam mais 132 milhões de animais de estimação no país (dados de 2013).

Além disso, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde divulgada em 2015, 44,3% das casas brasileiras têm pelo menos um animal de estimação. Isso equivale a 28,9 milhões de residências que possuem cães, gatos ou outros pets.

O animal que aparece com mais frequência é o cachorro, com 52,2 milhões de indivíduos. Isso dá uma média de 1,8 cachorro por domicílio. Os gatos aparecem na segunda posição da lista, com a estimativa de 22 milhões de animais nos lares brasileiros. 

Essa grande quantidade de pets de estimação impulsiona o mercado pet. Para ter uma ideia mais real da importância que os animais têm na vida dos brasileiros, saiba que existem mais cães em lares do que crianças. Enquanto são 52 milhões de cachorros, a população de crianças de 0 a 14 anos é de 44,9 milhões, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 2013.

Claro que essa grande quantidade de animais de estimação resulta em movimento do setor, mas não são apenas esses os números importantes, o quanto o tutor de pet gastar com o cão ou gato também precisa ser levado em conta.

Pesquisa mostra quanto os tutores de animais gastam com eles

Uma pesquisa feita em 2018, pela  CVA Solutions, mostra que além dos brasileiros terem muitos animais em casa, eles também estão dispostos a gastar. De acordo com o estudo, os donos de cães gastam em média R$ 121 em ração mensalmente e R$ 294 por mês no total com o pet.

Já os donos de gatos gastam em média R$ 200 mensais, dos quais R$ 90 são destinados à compra de ração. O mesmo estudo mostrou que a preocupação com a saúde também é grande e, por isso, 8,7% das pessoas pagam plano de saúde para os animais.

Para chegar a esses dados foram entrevistados 3.675 tutores de cães e 2.270 tutores de gatos.

Faturamento do mercado pet

No Brasil, o mercado pet movimentou R$ 34,4 bilhões em 2018, o dado é do Instituto Pet Brasil (IPB). Esse número mostra uma alta de 4,6% em relação a 2017, quando o faturamento anual foi de R$ 32,9 bilhões.

Com isso, o país se torna o segundo principal mercado pet do mundo, estando atrás apenas dos EUA,  com 40% do faturamento de varejo do setor. Depois do Brasil aparecem Reino Unido e a Alemanha, com participação de 4,9% cada.

Para fazer parte deste comércio que só cresce, é preciso se preparar e cuidar de cada detalhe da sua empresa. Por isso, separamos cinco dicas para cuidar do estoque da sua distribuidora. Confira!

Confira mais