vendedor interno e externo

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Vendedor interno e externo: qual o mais indicado para sua distribuidora?

Se você precisa contratar alguém para o setor de vendas da sua empresa, antes, deve decidir entre vendedor interno e externo; afinal, esses profissionais atuam de formas diferentes. É interessante conhecer essas diferenças para contratar aquele ideal.

Uma das diferenças entre esses vendedores está em seu lugar local de atuação, mas também envolve outros aspectos. Então, preparamos este artigo para ajudar você a entender o trabalho de cada um dos dois, suas vantagens e desvantagens, a fim de tomar uma boa decisão. Confira!

O que é um vendedor interno?

Vendedor interno é um profissional contratado por uma empresa para permanecer no escritório fazendo vendas. Ele realiza os contatos comerciais utilizando telefone, e-mail ou até mesmo aplicativos de mensagens e outras ferramentas.

O vendedor interno também é conhecido como vendedor remoto. Ele mantém contato com os clientes em potencial utilizando meios de comunicação. Não há uma relação ou um encontro cara a cara; assim, ele precisa ser muito comunicativo e conhecer técnicas de negociação para não perder oportunidades.

E o vendedor externo?

O vendedor externo também é um profissional contratado pela empresa. Porém, diferente do interno, sua função é ir ao encontro dos clientes. Sua atuação principal se dá fora da empresa, fazendo reuniões e visitas para tentar negociações.

É importante não confundir o vendedor externo com o representante comercial. A diferença entre os dois é que o representante não tem vínculo empregatício com a empresa. O vendedor externo trabalha em regime CLT, com os mesmos direitos que um vendedor interno tem.

Quais são as diferenças entre vendedor interno e externo?

Como você viu, a principal diferença entre vendedor interno e externo está no local de trabalho. Enquanto o primeiro faz vendas remotas, o segundo vai ao encontro dos clientes, e essa diferença se dá em função dos objetivos pelos quais a contratação é feita.

No caso do vendedor externo, geralmente ele trabalha com produtos ou serviços mais complexos e com um valor mais alto. É preciso cultivar uma relação mais próxima com os clientes em potencial, fazer uma apresentação mais completa, esclarecer dúvidas e atender exatamente às necessidades dessa pessoa.

É por isso que existem casos em que o vendedor externo tem uma preparação maior. Sua estratégia de vendas e abordagem precisa ser muito bem elaborada, pois esse profissional costuma lidar com negociações que podem envolver milhares ou mesmo milhões de reais.

Entretanto, isso não significa que vendas de menor valor não sejam feitas pelo vendedor externo. Ele também pode trabalhar com tickets mais baixos. Tudo depende de como as negociações devem ser conduzidas.

Quais são as vantagens e as desvantagens de cada um?

Vendedor interno e externo têm suas vantagens e desvantagens. No caso do interno, a vantagem é que esse profissional tem um custo menor para a empresa. Isso porque ele permanece nas dependências dela e não há necessidade de custear movimentações.

Entretanto, a desvantagem é que ele não cultiva uma relação tão próxima com os clientes, já que existe uma frieza maior no atendimento oferecido. Não é possível acompanhar, por exemplo, reações e a linguagem corporal do cliente.

Já no caso do vendedor externo, a vantagem é a personalização do atendimento. Ele está muito mais próximo do cliente, acompanha as reações dele e faz mudanças de estratégia sempre que houver sinal de que isso é necessário.

Confira mais